O que é cooperativismo de crédito e quais os seus diferenciais?

cooperativismo de crédito
12 minutos para ler

Você está buscando recursos financeiros para alavancar o seu negócio? Então, que tal apostar no cooperativismo de crédito? Trata-se de uma opção interessante para quem busca recursos financeiros para investir em uma empresa e bancar investimentos e operações necessárias ao andamento do negócio.

Essa alternativa vem ganhando cada vez mais espaço no Brasil. Mas, afinal, você sabe como funciona esse sistema? Conhece os ramos e atividades que estão incluídos nos serviços de cooperativas? Não se preocupe, pois você vai tirar todas as suas dúvidas a seguir.

Este artigo explicará o que é cooperativismo de crédito e quais são as principais características desse mecanismo.

O que é cooperativismo de crédito?

Uma cooperativa de crédito é formada pela associação de pessoas, criada com o intuito de trazer soluções financeiras conforme as dificuldades e necessidades dos participantes. Ele consiste em um mecanismo que incentiva o crescimento econômico, uma vez que são utilizados os próprios recursos como forma de financiar seus associados, ou cooperados.

Nesse sentido, as cooperativas de crédito, ou cooperativas financeiras, são marcadas pela ausência de fins lucrativos, que fazem parte do Sistema Financeiro Nacional.

Desse modo, as suas atividades são autorizadas e fiscalizadas pelo Banco Central e sofrem auditoria externa periodicamente. O intuito é fornecer crédito e recursos financeiros de maneira única e exclusiva para os seus cooperados.

Quais são os seus benefícios?

Conheça, a seguir, os benefícios de optar pelo cooperativismo de crédito para alavancar os seus negócios.

O cooperado tem poderes

O cooperado tem voz ativa dentro das assembleias que são convocadas para decidir questões envolvendo a cooperativa de crédito. Dessa forma, ele é considerado como se fosse um dos donos.

Por um lado, o cooperado participa das sobras da cooperativa. Por outro lado, os participantes respondem por eventuais perdas, no limite na proporção de sua participação.

Taxas de juros reduzidas

O cooperativismo apresenta linhas de crédito com taxas de juros menores se comparadas com as instituições bancárias. Além disso, a maioria não cobra tarifas pelos serviços oferecidos.

Rendimentos maiores que os praticados no mercado

Se o participante da cooperativa dispuser de uma quantia a título de reserva financeira, poderá aplicar esse valor na cooperativa como depósito a prazo, que apresenta rendimentos superiores aos do mercado financeiro.

Da mesma forma, há a vantagem de não recolhimento de depósitos compulsórios. Esse fato traz mais economias e garante uma taxa de retorno mais satisfatória.

Atendimento diferenciado

O cooperado é, ao mesmo tempo, participante e dono da cooperativa. Os negócios que ele faz voltam para ele em forma de divisão das sobras, juros e tarifas.

Tudo isso retorna em um valor acima do que foi aplicado (dinheiro) ou na obtenção de mais cotas. Da mesma forma, é possível se retirar desse acordo e receber o valor das cotas que é seu por direito.

Por que ele vem se destacando no Brasil?

O objetivo da cooperativa de crédito não é o capital ou o lucro em si, mas a captação de resultados suficientes para suportar as despesas e ter condições de se desenvolver.

A expressão mais adequada seria “sobras”, em vez de lucro. Assim, caso os resultados não tenham fins lucrativos, estão isentos da incidência de tributação e são revertidos a favor dos cooperados.

Quais são os tipos de cooperativas?

As cooperativas de crédito são divididas em modalidades conforme o segmento e atividade desenvolvida pelos cooperados. Confira alguns exemplos.

Ruralistas, extrativistas e colônias de pescadores

O cooperativismo de crédito rural é a opção mais apropriada para indivíduos que se encaixam em atividades ruralistas, extrativistas e colônias de pescadores, por exemplo.

Nesse sentido, podem ter acesso aos recursos de Planos de Safra e outros tipos de créditos agroindustriais.

Comerciante, industrial e/ou prestadores de serviços

As cooperativas de crédito que melhor se encaixam nesse perfil são aquelas que abrangem os micro e pequenos empresários e microempreendedores.

Donos de pequenos negócios de livre aceitação de cooperados

O cooperativismo de crédito de livre admissão de cooperados e o cooperativismo de pequenos empresários envolvem os donos de pequenos negócios de livre aceitação de cooperados. Eles estão filiados a uma Cooperativa Central de Crédito e a uma Confederação de Crédito.

Qual a diferença de uma cooperativa para um banco?

As cooperativas de crédito e os bancos são entidades financeiras cujas atividades são autorizadas, reguladas e fiscalizadas pelo Banco Central. Além disso, os produtos que oferecem costumam se assemelhar — contas corrente, poupança, aplicações, cartão de crédito, cartão de débito, seguros, pagamentos etc.

Entretanto, existem diferenças entre essas instituições. É o que você vai conferir a seguir. Vamos apresentar as diferenças conforme algumas modalidades.

Bancos

Características dos bancos:

●     são sociedades de capital;

●     o poder é definido por quem contabiliza o maior número de ações;

●     o cliente/usuário não tem influência nos produtos ou precificação;

●     avançam por competição.

●     o objetivo primário é lucrar;

●     os preços e taxas costumam ser altos, pois objetivam o lucro;

●     os resultados/lucros são repartidos somente entre os acionistas;

●     não há interesse na comunidade, ou seja, não existe nenhum plano ou prioridade em investimentos locais.

Cooperativas de crédito

Já as cooperativas apresentam as seguintes particularidades:

●     são sociedades de pessoas;

●     um ou mais donos são cooperados;

●     não têm o objetivo de lucro, mas de trazer benefícios para todos os participantes cooperados por meio da administração dos recursos financeiros;

●     cada cooperado tem direito a um voto de igual valor entre si;

●     todos os cooperados têm poder de decisão e participam ativamente das decisões sobre as atividades e a política operacional;

●     avançam por meio de cooperação mútua;

●     o objetivo é administrar os recursos financeiros da melhor forma;

●     os preços e taxas costumam ser menores, pois não objetivam o lucro;

●     os resultados/sobras são divididos entre todos os cooperados, conforme a quota de participação de cada um dentro da cooperativa;

●     os recursos podem ser retidos conforme o ramo de atuação como forma de ajudar o crescimento local da comunidade onde estão instaladas (há o apoio a ações humanitárias e socioambientais, por exemplo).

O cooperativismo de crédito vem ganhando cada vez mais destaque no cenário empresarial no Brasil em prol do benefício geral das empresas.

Nesse sentido, é importante analisar os riscos e objetivos do seu negócio e avaliar se a medida será vantajosa, antes de optar por esse tipo de associação.

Entendeu a importância do cooperativismo de crédito? Quer saber mais sobre o universo jurídico-empresarial? Então, assine a nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos em sua caixa de e-mails! Você está buscando recursos financeiros para alavancar o seu negócio?

Então, que tal apostar no cooperativismo de crédito? Trata-se de uma opção interessante para quem busca recursos financeiros para investir em uma empresa e bancar investimentos e operações necessárias ao andamento do negócio.

Essa alternativa vem ganhando cada vez mais espaço no Brasil. Mas, afinal, você sabe como funciona esse sistema? Conhece os ramos e atividades que estão incluídos nos serviços de cooperativas? Não se preocupe, pois você vai tirar todas as suas dúvidas a seguir.

Este artigo explicará o que é cooperativismo de crédito e quais são as principais características desse mecanismo.

O que é cooperativismo de crédito?

O cooperativismo de crédito é uma associação cooperativa criada com o intuito de trazer soluções financeiras conforme as dificuldades e necessidades dos participantes.

Ele consiste em um mecanismo que incentiva o crescimento econômico, uma vez que são utilizados os próprios recursos como forma de financiar os associados.

Nesse sentido, as cooperativas de crédito ou financeiras são associações de pessoas marcadas pela ausência de fins lucrativos, que fazem parte do Sistema Financeiro Nacional.

Desse modo, as suas atividades são autorizadas e fiscalizadas pelo Banco Central e sofrem auditoria externa periodicamente. O intuito é fornecer crédito e recursos financeiros de maneira única e exclusiva para os seus associados.

Quais são os seus benefícios?

Conheça, a seguir, os benefícios de optar pelo cooperativismo de crédito para alavancar os seus negócios.

O associado tem poderes

O associado tem voz ativa dentro das assembleias que são convocadas para decidir questões envolvendo a cooperativa de crédito. Dessa forma, ele é considerado como se fosse um dos donos.

Por outro lado, a natureza jurídica da cooperativa é de sociedade limitada. Isso significa que os participantes respondem pelos débitos da empresa no limite de suas cotas.

Taxas de juros reduzidas

O cooperativismo apresenta linhas de crédito com taxas de juros menores se comparadas com as instituições bancárias. Além disso, a maioria não cobra tarifas pelos serviços oferecidos.

Rendimentos maiores que os praticados no mercado

Se o participante do cooperativismo dispuser de uma quantia a título de reserva financeira, poderá aplicar esse valor na associação como depósito a prazo, que apresenta rendimentos superiores aos do mercado financeiro.

Da mesma forma, há a vantagem de não recolhimento de depósitos compulsórios. Esse fato traz mais economias e garante uma taxa de retorno mais satisfatória.

Atendimento diferenciado

O associado é, ao mesmo tempo, participante e dono da cooperativa. Os negócios que ele faz voltam para ele em forma de divisão das sobras, juros e tarifas.

Tudo isso retorna em um valor acima do que foi aplicado (dinheiro) ou na obtenção de mais cotas. Da mesma forma, é possível se retirar desse acordo e receber o valor das cotas que é seu por direito.

Por que ele vem se destacando no Brasil?

O objetivo da cooperativa de crédito não é o capital ou o lucro em si, mas a captação de resultados suficientes para suportar as despesas e ter condições de se desenvolver.

A expressão mais adequada seria “sobras”, em vez de lucro. Assim, caso os resultados não tenham fins lucrativos, estão isentos da incidência de tributação e são revertidos a favor dos associados.

Quais são os tipos de cooperativas?

As cooperativas de crédito são divididas em modalidades conforme o segmento e atividade desenvolvida pelos associados. Confira alguns exemplos.

Ruralistas, extrativistas e colônias de pescadores

O cooperativismo de crédito rural é a opção mais apropriada para indivíduos que se encaixam em atividades ruralistas, extrativistas e colônias de pescadores, por exemplo. Nesse sentido, podem ter acesso aos recursos de Planos de Safra e outros tipos de créditos agroindustriais.

Comerciante, industrial e/ou prestadores de serviços

As cooperativas de crédito que melhor se encaixam nesse perfil são aquelas que abrangem os micro e pequenos empresários e microempreendedores.

Donos de pequenos negócios de livre aceitação de associados

O cooperativismo de crédito de livre admissão de associados e o cooperativismo de pequenos empresários envolvem os donos de pequenos negócios de livre aceitação de associados. Eles estão filiados a uma Cooperativa Central de Crédito e a uma Confederação de Crédito.

Qual a diferença de uma cooperativa para um banco?

As cooperativas de crédito e os bancos são entidades financeiras cujas atividades são autorizadas, reguladas e fiscalizadas pelo Banco Central. Além disso, os produtos que oferecem costumam se assemelhar — contas corrente, poupança, aplicações, cartão de crédito, cartão de débito, seguros, pagamentos etc.

Entretanto, existem diferenças entre essas instituições. É o que você vai conferir a seguir. Vamos apresentar as diferenças conforme algumas modalidades.

Bancos

Características dos bancos:

  • são sociedades de capital;
  • o poder é definido por quem contabiliza o maior número de ações;
  • o cliente/usuário não tem influência nos produtos ou precificação;
  • avançam por competição.
  • o objetivo primário é lucrar;
  • os preços e taxas costumam ser altos, pois objetivam o lucro;
  • os resultados/lucros são repartidos somente entre os acionistas.;
  • não há interesse na comunidade, ou seja, não existe nenhum plano ou prioridade em investimentos locais.

Cooperativas de crédito

Já as cooperativas apresentam as seguintes particularidades:

  • são sociedades de pessoas;
  • um ou mais donos são associados;
  • não têm o objetivo de lucro, mas de trazer benefícios para todos os participantes associados por meio da administração dos recursos financeiros;
  • cada associado tem direito a um voto de igual valor entre si;
  • todos os associados têm poder de decisão e participam ativamente das decisões sobre as atividades e a política operacional;
  • avançam por meio de cooperação mútua;
  • o objetivo é administrar os recursos financeiros da melhor forma;
  • os preços e taxas podem ser até 20% menores, pois não objetivam o lucro;
  • os resultados/lucros são divididos entre todos os associados, conforme a quota de participação de cada um dentro da cooperativa;
  • os recursos podem ser retidos conforme o ramo de atuação como forma de ajudar o crescimento local da comunidade onde estão instaladas (há o apoio a ações humanitárias e socioambientais, por exemplo).

O cooperativismo de crédito vem ganhando cada vez mais destaque no cenário empresarial no Brasil em prol do benefício geral das empresas.

Nesse sentido, é importante analisar os riscos e objetivos do seu negócio e avaliar se a medida será vantajosa, antes de optar por esse tipo de associação.

Entendeu a importância do cooperativismo de crédito? Quer saber mais sobre o universo jurídico-empresarial? Então, assine a nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos em sua caixa de emails!

Powered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-